Friday, March 14, 2008

Vontade de não te ter inteira

[...]
- Direitos – eu sei que eu não tenho. Mas tenho vontades. E vontades ultrapassam qualquer barreira imposta pelos direitos. Vontades ignoram qualquer intenção de seguir regras impostas pelos que caminham nos caminhos certos. Vontades andam quase como se fossem as sombras dos erros. E é por isso que costumo seguir minhas vontades, mesmo que só de longe. Portanto, se não quiser fazer parte das minhas vontades: imponha mais barreiras e ignore minhas intenções. Talvez você se sinta mais inteira quando não estamos juntos.
[...]

5 comments:

mari said...

amigo pedro,
voltarei sempre pra com-versar com vc. pode ficar tranquilo. quando te ouço tbm falo.

vontades...
o bom de as ter é tê-las.
o que fazer com elas é difícil, principalmente quando elas envolvem outros seres também cheios de vontades próprias. não é mesmo?

espero que suas vontades sejam as mesmas, ou que pelo menos, se complementem.

tenha um bom fim de semana.
um beijo.

raquel a. said...

eu comentei no seu fotolog.


esse seu texto me lembrou a faculdade de história, quando um professor dissertava sobre a formação dos estados modernos, sobre o momento em que o homem abdicava de seus direitos pra conviver em sociedade...

blé.

[P] said...

Ui, Pedro...

Às vezes me pergunto se não seria melhor abdicar de certas vontades [mesmo que eu ainda não saiba como fazer isso].

=*

ps: brigada pelo elogio deixado lá no blog. sempre prefiro ler um "hahaha" na caixa de comentários, ao invés daquelas coisas do tipo "aimeudeusdocéu, você está bem? posso ajudar?" :)

e, ah, sobre as visitas... vou aparecendo enquanto você não reclamar ;)

Nadezhda said...

Obrigada pela visita no Quarto 18!
(Achei que as pessoas não lessem aquela história, mas há algumas que ainda tentam).

Gostei bastante daqui, voltarei sempre que puder ;)

FlaM said...

Ai pedro que bonito este também. O título me chamou a atençao, não tnha visto ainda.
bj, brigada! f.