Monday, March 24, 2008

Uma possível probabilidade de tê-la

Tê-la é quase impossível. Assim como é quase impossível não querer tê-la. Se a tivesse quase não saberia o que fazer. Não a tendo sei que posso quase refazê-la. É quase divertido tentar inventar um quase-começo para uma quase-história que tinha tudo para ser quase-bonita se não fosse sempre interrompida pelos invisíveis, inaudíveis e intermináveis gritos do Quase.

Tê-la é quase improvável. Assim como não tê-la é quase uma prova de paciência. É como se a vida que levo sem levá-la fosse parada. É como se a morte que me espera sem esperá-la fosse antecipada. É como se a dor que carrego sem carregá-la se acomodasse entre os espaços quase-apertados da minha memória, quase-entupida de você. É como se um quase-sonho fosse sonhado nesse exato quase-momento. É como se uma tela pintada por um pintor quase famoso trouxesse a sensação exata e colorida de como é tê-la, sem tê-la. É como se eu quase acordasse desse mesmo quase-sonho e quase visse nesse meu espelho imagens retorcidas, quase incompreensíveis, do quase vazio do artista que é ficar sem tê-la, nem tela. É como se eu acordasse com aquela quase-certeza de que aquilo que ficou incompleto acabou complementando o meu desejo quase-inútil de permanecer dormindo.

Compramos uma quase grande casa com um jardim quase sem fim. Acreditávamos em um quase-Deus. Éramos quase-felizes (com essa nossa quase-vida). Tínhamos três quase-filhos lindos e um quase-cão adestrado que quase fugiu quando soube que aquilo tudo não passava de uma quase verdade.

“Tê-la quase” ou “Quase tê-la” foi o único jeito, quase sincero, que encontrei de quase amá-la e quase não sofrer.

12 comments:

FlaM said...

e eu quase achei que vc conhecia os meus segredos...
bj, f

Raven said...

gente, adoro o seu jeito de brincar com as palavras. :)

Amei o texto!

Rose said...

Boa tarde!!
Posso te linkar no meu blog?
beijo

Rose said...

Não é difícil...se vc quiser posso tentar explicar por e-mail. O seu é o que está no perfil?

Rose said...

Dá uma olhada lá, já mandei ;)

.linny said...

UHHHHHHH

amei teu texto. tu escreve de uma forma simples e bonita pra se ler.

obrigada pela visita e volte sempre.

[P] said...

Teu texto me tocou de um jeito que você não imagina, Pedro.

E me tocou porque me encontro, agora, atualmente, no exato estado do "quase". E isso machuca um bocado...

Beijo.

Liz Christine said...

amei teu texto...

TheRaven said...

Uma "quase" probabilidade de tê-la...
Incompleto ou quase completo
sendo quase o que se é, o que se pensa... quase sempre somos o quase de que como se quase fossemos o que somos.
...
Essa epidemia do advérbio que, nem sendo perto ou próximo no tempo, espaço, ação, reação ou existência, nos diz "por um pouco" ou "por um triz" no que quer que se diga.
...
Tu disseste...quase.

Sem quase nenhum, gostei de teu escrito, de tua escrita.

BABI SOLER said...

Objetivo e claro.
Bom final de semana

Alice said...

tocou-me....profundamente.
bjkassss

tomas said...

Esse texto está incrível!
Eu também encontrei um jeito "quase" sincero de "quase" amar e "quase" não sofrer.
Apor ler essas palavras acho que entendo melhor o que se passa comigo...
Muito obrigado e parabéns.