Friday, March 28, 2008

Em outras palavras

[...]
Talvez eu nunca consiga te explicar claramente o que se passa na minha não-clara mente, portanto fique atenta ao que eu tento não te dizer porque é nessa falha de fala que falo calado tudo o que faltei em te dizer. Não sou um Santo – graças a Deus! Em outras palavras: sou um silêncio que tem muita coisa pra falar, mas que se cala por medo de falhar.
[...]

11 comments:

FlaM said...

Querido Pedro Gabriel, nenhum silêncio substitui a palavra. Nenhum silêncio substitui a conversa. Mas em silêncio também se caminha. às vezes a palavra violenta o silêncio. Às vezes o silêncio vitima a conversa, estupra a palavra.
Há horas de caminhar e de dar voltas. Junto. Há horas de repouso, de parada e de solidão.
O difícil é o discernimento e a sintonia, a afinação com o outro - permitir-se parar, mas saber também avançar: romper o silêncio em direção ao caminho e ao junto.
No entanto, não há o que temer, não há por que temer...
Em frente, então?
Enfrente então!
bjs, f

FlaM said...

Ah: 'brigada pela visitinha em "data comemorativa".
bjim

[P] said...

Talvez as explicações sejam desnecessárias, assim como o medo de falhar. E, ainda assim, se o "eu" insiste em calar... bem, é só uma questão de se tentar interpretar seus silêncios...

[Pedro, sou viciada em reticências, reparou?]

Um beijo.

:: Daniel :: said...

Caro amigo vizinho da velha casa (rs)

Eu sou como a menina [P]: uso muito as reticências. Eu falo no cotidiano em reticências, penso em reticências... (olha aí eu usando sem querer.. rs)

O silêncio, pra mim, é significador. Ele não é ausência; indica um sentido, um valor, um desejo, um querer que, por razões infindas, não queremos ou não sabemos revelar.

E é por meio meio silêncio, do implícito, do não-dito, que eu escrevo minhas coisas no blog. Eu digo sem muito dizer, quero ser claro sem ser específico.

A sensação é a de sempre estar sob um véu opaco, em que se vê sem ser exatamente nítido aos olhos de todos.

Seja bem-vindo à velha casa, sempre! Você reúne aqui nesse post comentários de duas pessoas queridíssimas pra mim: a Fla e a menina [P].

Abração,
Daniel

FlaM said...

Nossa que bela reunião de meus amigos novos preferidos!
E olhem ali o primeiro comentário desta caixa... reticências... sempre!
Não consigo escrever nada sem elas. Textos acadêmicos, "tese" é um saco, pq não "pode", mas garanto que eu devo ter algumas escondidas nas epígrafes e dedicatórias da minhas...
adorei tomar meu café damanhã aqui com vcs 3 - à 1h da tarde e entre muitas reticências...
bjs, f

FlaM said...

Por sinal, esse teu reloginho aí tá doido, PG! Agora é uma e um!

sampin said...

Desde uma recente visita sua em meu perfil (orkut), tenho visitado este blog (buscando novidades que ainda não surgiram hehe). Adorei ler tudo que vc escreveu... me identifico bastante com quase todos os seus 'pensamentos'.
Bom, só pra deixar registrado o meu prazer em conhecer esse seu cantinho.

Até breve!

Juliana Caribé said...

"Quem não compreende um olhar, tampouco compreenderá uma longa explicação."

Beijos.

Morganna said...

facilidade tu tem com as palavras, menino!
gosto de silêncios. e dos gestos que se fazem neles. :]

Rose said...

Um silêncio diz taaaanto pra quem consegue entender...
boa semana
beijoo

Rose said...

Ah! também sou meio viciada em reticências (já reparou né?)