Wednesday, February 06, 2008

Me distraio

[...]Para não pensar em você me distraio com a paisagem urbana. Carros, postes, vendedores ambulantes e cães - todos eles, sem exceção, me afastam de você. Não que eu precise de pessoas ou bichos ou objetos para me sentir distante de você, mas sei lá, às vezes é bom procurar uma desculpa, inventar um motivo ou, simplesmente, encontrar uma razão para minha incapacidade de mantê-la por perto.[...]

4 comments:

Laís Lorenzoni said...

hey, você =]
obrigada por visitar meu blog, estou começando agora. Irei te adicionar e visitar sempre também, apreciei sua escrita, beijos.

Laís Lorenzoni said...

Certamente, seu final se encaixou em meu poema,
as pessoas atualmente se esqueceram o que é o sentimento
e se banalizam suprindo isso com bens materiais, no meu campo de visão,
pelo menos.

Beijos :*

Morganna said...

'arranhou os discos,
descolou a forração,
arrastou as cadeiras
pelo chão do corredor,
pôs os livros no quintal
rezando pra chover'

e choveu. (:

Ana Vitória said...

Dorei!

O que as pessoas não fazem para fugir de suas alucinações e realidades?