Friday, January 25, 2008

Não a via

Não havia nada por lá. Nem os deuses humanizados. Nem as cruzes. Nem as luzes. Nem os gestos simples. Nem os amores complicados. Nem os gatos apavorados. Nem os gastos apavorantes.

Não havia nada por lá. Nem os risos delicados das moças indelicadas. Nem os riscos constantes dos que não se arriscam. Nem o incômodo silêncio dos amantes recém-separados. Nem a sombra de um grande amor. Nem o corpo de uma pequena paixão.

Não havia nada por lá. Nem o riso das crianças abandonadas. Nem o choro dos velhos aposentados. Nem os gritos dos cães perdidos. Nem os berros dos donos que não se acham. Nem mesmo a morte tinha chegado.

Não havia nada por lá. E eu, daqui, não a via.

2 comments:

Morganna said...

e não há nada aqui.

juro, me sinto tão bem lendo o que escreves.

Mel said...

Poxa, que lindo isso que você escreveu!
Obrigada! Eu vou adorar as visitas!
O seu site já está no meu feedreader. :)

Beijo!!