Sunday, January 13, 2008

Ao meu provável futuro amor

Ontem senti sua falta. Sinceramente, não sei quem é você, nem sei se você sabe quem sou eu. Isso, sinceramente, não interessa muito nesse meu estágio atual. Atualmente ando com as nuvens na cabeça. Penso à beça. Penso em como você poderia ser. Brinco em cima da probabilidade de coisas improváveis. É divertido imaginar um ser inimaginável e ao mesmo tempo saber que esse ser é real. Ele é real dentro da minha imaginação. Ele existe sim; mesmo que seja uma existência devido a sua inexistência.É bom saber que existe alguém que, provavelmente, nunca existirá de fato, mas sim em sonhos. O barato da vida está toda na imaginação. Imagino você sorrir, e você sorri!Imagino você fazendo o que eu quiser que você faça, e você faz – e o melhor de tudo : sem reclamar ! É uma delícia te imaginar. Desenho teu rosto com os traços que me agradam, coloco o nariz que eu prefiro, a boca que eu preciso, as roupas que te combinam, os gestos são exatamente como programei e a voz tem tantos tons quanto sentimentos. Acho que encontrei a melhor forma de te preservar: te construir. Sempre tomamos mais cuidado com aquilo que fazemos. Por isso, e por preguiça de procurar (confesso!), resolvi te construir. Confesso também que não foi uma tarefa tão simples assim. Pensar ou imaginar requer um certo preparo. Não posso te projetar de qualquer jeito. Não posso te formar de qualquer forma. Mas posso te informar com a mais absoluta certeza que ontem senti sua falta, mas até hoje não consegui perceber se era falta de você ou se era falta de sentir falta. Era uma falta boa de sentir. A falta de algo que ainda está por vir. A falta de algo que pode se tornar importante. Com certeza, não era falta de imaginação. Imaginação talvez seja a única coisa que eu ainda tenha de sobra. Por falar em sobra, dedico o tempo que me sobra ao meu provável futuro amor; mesmo tendo a plena consciência que a probabilidade de ver você um dia é a mesma de me tornar cego esta noite.

Parei de te imaginar.

Percebi que é inútil imaginar um provável futuro amor. Imaginar é fugir da realidade. Fugir da realidade é fugir da vida. Fugir da vida é se aproximar da morte. E se eu morrer agora, nunca vou te conhecer.

6 comments:

Morganna said...

ô moço. gostei tanto das tuas palavras. tua escrita é bonita.
também imagino meu futuro amor, o quanto "doses de cores" tomaria todos os dias. Já tentei até parar, não consigo. :D

Um beijo. :***

Camilinha said...

Ahhhhhhh
esse eh o mais foda do mundo
nao canso de dizer
todo dia penso em roubar, mas sempre fico com vergonha de sre pela saco
huahuahuahuahuahuahuaa
Pior q eu juro q eh verdade
nao sou sua fa # 1, mto longe disso, mas sou fa # 1 desse texto isso eh fato
um dia eu tomo coragem e robo... ah se robo...
beijinhus Pedro ateh, sei la 2009

Mel said...

Poxa, posso citar uma frase sua no meu blog??? Amei a "Brinco em cima da probabilidade de coisas improváveis". Aliás, o texto inteiro é excelente!!!
:)
Mel

Luciane Oliveira said...

Ah, nossa, q coisa mais pungente, mágica, imagética...........

Vc postou coment no meu blog e nao pude deixar de vir aqui ler, tbm gostei mto do q li. E tbm quero ler com mais calma os outros textos q ainda faltam pra eu ler...

Mas..... de onde conheceste meu blog? Bjos.

Srita. Holzwarth said...

Ha! Eu não sei se isso é saudável, mas é um ótimo esporte para noites de insônia.
E, confesso, ficar imaginando algo sem ter uma forma-base é delicioso...
Gostei muito do teu texto. Ainda não li nenhum outro, mas vou "perder meu tempo" fazendo.
Eu só não podia deixar de comentar o quanto me identifiquei com tua imaginação. Aliás, acho que imaginação sobra a todo mundo. O que falta, mesmo é "coragem" para expôr.
Vê se continua fazendo isso com a tua!
;)
Bejooooo!!!!!!

said...

Post antigo, mas não resisti. Como você escreve beeem! E é tudo tão sincero e se assemelha comigo e mais 30 pessoas ao mesmo tempo.
:D