Tuesday, April 01, 2008

A emoção de ter e a razão de perder

Um dia olhei pra mim e vi que faltava algo. Logo descobri que na verdade faltava alguém. Percebi também que eu precisava de ombros, de cílios e de lábios preenchidos com o semblante do meu sexo oposto.
E esses ombros seriam meu sustento. E esses cílios seriam meu concreto. E esses lábios seriam minhas vontades. Sabe quando você ama muito, mas não sabe porquê? Sabe quando você explode e acha que perdeu a razão? Você sabe o que é perdoar quem te magoa e magoar quem te perdoa? – isso é amor. Não enxergamos o que realmente deve ser visto, por isso dizem que o amor é cego e que os amantes são cínicos. Por isso dizem que o amor é lindo, mas que amar é quase mais dolorido que uma faca enferrujada enfiada na aorta. Sabe quando te julgam e você acha que perdeu a razão? Lembre-se, você não perdeu nada, você só se amou um pouco mais e eu te amo ainda mais por isso.
Sabe quando tudo acaba e você continua não sabendo porquê? Eu desisti de tentar entender e decidi racionalizar meus sentimentos, justamente por saber que a razão é a forma mais concreta de eternizar a emoção.
[ texto muito antigo - acho que de 2003]

8 comments:

Bárbara (B.) said...

Acho que você tem razão... se entregar no momento é a coisa mais certa a fazer, talvez bem instintiva, mas correta. E no fim, tentar racionalizar as coisas... hm, só consigo isso se não gostar mais.

Cada um com suas fraquezas. Certo?

Beijo meu.

Anonymous said...

há tempos que não leio um blog tão bom. parabéns!


(http://nobodyn.zip.net)

FlaM said...

Haha! Ai Pê-Gabi, meu querido amigo, adoro essa tua juventude! Os meus textos "muito antigos" são de 1983, se procurar bem, posso achar alguma coisa de 74...
E é incrível como um texto de 2003 pode ser tão antigo e tão "fresco" ou tão profundo quanto um de 1993, pq afinal, o que importa é o que ele diz e se a alma está lá, não?
bj,f

FlaM said...

Ah! em 1983 eu mantive um diário. Diário mesmo. Não havia internet nem blogs. No final daquele ano eu fiz os 23 anos que tens hoje!
Nesta época eu também estava percebendo que faltava algo/alguém. E não é que ainda falta... (claro, encontrei cílios e ombros e... nesse meio tempo... ah e tb a emoção de ter e a razão de perder...
bjs, f

:: Daniel :: said...

Eu ainda sigo no pêndulo entre razão e emoção para destrinchar esse amor.

Gosto muito das coisas que você escreve. Acho que me encontro um pouco em suas palavras.

Abraço grande!
Daniel

Juliana Caribé said...

Sempre nos falta algo... Sempre.

Beijos.

Lúcia said...

Sempre que procuro racionalizar a emoção, descubro que ela dói ainda mais, que ela aperta ainda mais do que a gente pensava ser possível...
Mas acabo, sempre e meio sem querer, também racionalizando.
Quem sabe isso é um reflexo da certeza inconsciente de que é só assim que as coisas se fazem eternas...?

Beijos

[P] said...

Racionalizar sentimentos?

Isso existe? Deve ser difícil de se conseguir... mas, se por acaso houver uma fórmula, acho que tentarei usá-la, porque meus instintos são, na maioria das vezes, avassaladores...

Beijo, Pedro.