Sunday, April 13, 2008

Pedaços de uma carta despedaçada

[...]
Desejo conhecer a sua voz – será que ela tem o mesmo timbre quando acorda? Quando deita? Quando diz: “eu te amo” depois de fumar? Quando pede silêncio? Desejo conhecer o seu passado – Será que ele tem as mesmas aflições, as mesmas indagações e as mesmas inquietações que você tem hoje? Será que ele guarda segredos, imagens, atos, gestos, ofensas, amores que você tem medo de reencontrar ou reviver? Será que ele esconde palavras, declarações, vontades, desejos e direitos que nunca serão revelados? Desejo ler as suas mãos. Saber se o futuro nos reserva alguma coisa. Saber se as cartomantes estavam certas. Esquece. As cartomantes mentem. Talvez seja por isso que confio tanto nelas. Eu gosto de me iludir. E tem mais: saber que só as previsões mentirosas nos farão viver junto, de certa forma, me reconforta. Desejo conhecer seu rosto. Cansei de traçar milhões de possibilidades imaginárias na minha mente. Não quero me basear em probabilidades para definir uma certeza. E a certeza é que eu me perco nas minhas ilusões. Você é uma delas.
[...]

7 comments:

Bárbara (B.) said...

Você come minhas palavras com uma fome de animal.

Ou seja, eu não sei o que dizer depois de ler teu texto... todos os adjetivos me parecem redundâncias feias demais.

Morganna said...

acho que prefiro ilusões.
e tudo, tudo o que a bárbara falou é verdade. =)

FlaM said...

Que coisa mais tão linda é essa Pedro gabriel? Meu querido Pgabi!
E vc jura que nao sabe que faz poesia?
bjs, Flávia

Rose said...
This comment has been removed by the author.
Rose said...

E juntando os pedaços você conseguiu demonstrar os mais lindos sentimentos.
beijoo

FlaM said...

Nao ta lendo demais,nao? custava ter postado ja outro pra gente? T'a me dando um tipo de sindrome de
abstinencia... to sem msn, como eu vou ficar sem minha dose diaria de tua prosa po'etica?...
bj, f

:: Daniel :: said...

Amigo Pedro (ou chado de Gabriel, ou de Pedro Gabriel? rs),

Seu belo texto, como de hábito, me chamou a atenção para duas coisas que me pautaram especialmente esta semana:

- A vontade inerente ao coração de entrar no mundo de quem ama;

- Na parte das cartomantes, lembrei uma frase do Guimarães Rosa: "O amor só mente para dizer maior verdade".

Lindo seu post!

Abraços,
Daniel