Thursday, June 19, 2008

Predestinado a não ter destino

[...]

Eu queria mesmo poder viver da minha loucura e sobreviver das minhas paixões. Achar um amor perdido e encaminhá-lo de mãos dadas para as portas ainda fechadas do paraíso ilusório. Pedir para que alguém as abra, e fazer de tudo para que ela consiga entrar. Eu não tenho vontade de entrar no paraíso. Não quero que minha vida se torne um inferno.
[...]

6 comments:

Morganna said...

acho que as portas fechadas d paraíso ilusório devem abrir sem ajudas de mãos.
não é preciso tanto esforço físico.
no mais, eu canto: 'uma vez eu tinha uma ilusão e não soube o que fazer com ela'.

=*

:: Daniel :: said...

"Eu qe já não quero mais
Ser um vencedor
Levo a vida devagar
Pra não faltar amor"

Abração!

Camila. said...

Tão ingênuos esses desejos. Deliciosos.

Daniel Barros said...

Excelente texto. Excelente blog.

Viver da loucura e sobreviver das paixões deve ser o sonho de muitos por aí. E mesmo sendo 'simples' é um grande sonho. Que os sonhos se tornem reais.

abs.

júlia said...

"Eu não tenho vontade de entrar no paraíso. Não quero que minha vida se torne um inferno."

sem palavras, que coisa mais pura, mais sincera, verdade triste e doce. não sei explicar
parabéns

Miguel Barroso said...

Um amor senta-se e permanece estoicamente activo na magnitude uterina do seu esplendor.



Abraços do EU, SER IMPERFEITO e d´A SEIVA