Wednesday, June 04, 2008

[Re]morte

[...]

Ela se enfiou nos meus maços como se quisesse ser fumada por mim. Ela desabou nos meus braços como se quisesse nascer de novo. Ela se escondeu nos meus sonhos fracos para me dar força para sonhá-la melhor - mas eu não quero sonhá-la, nem nascê-la, nem vivê-la, quero morrê-la, quero morrê-la, quero morrê-la.

[...]

5 comments:

Alice said...

então que seja doce a morte....hmmmm mas isso é forte !!

bjkassssssssss

Morganna said...

necessidades.

Bárbara (B.) said...

Ah, esse é o querer mais bruto, mais vital, visceral, necessário, perfeito!

:: Daniel :: said...

É tragar e fazer com que o ar se esvaia. [Embora o gosto sempre fique no final...]

Abs!

jupyhollanda said...

sobre ser lindo e emocionar... sim um texto pode ser assim como o seu agridoce como uma morte viva.

Bjos