Tuesday, January 13, 2009

Fato consumado por um amor consumido

[...]

Era domingo, sétimo dia da semana, um pouco antes das oito e meia da noite do nono mês de um ano qualquer: Um primeiro amor sem segundas intenções foi consumado sem terceiros, num quarto de um conhecido por um casal desconhecido . Os dois estavam há quase três horas e trinta minutos deitados como se fossem um. Ele aparentava ter menos de vinte e poucos anos. Um quinto de segundo bastou para que os seus seis sentidos perdessem os sentidos. Ela não tinha menos de trinta e se abria num ângulo de não sei quantos graus e era consumida por não sei quantos centímetros e gozava múltiplas vezes por não sei quantas horas; enquanto, lá fora, a noite inteira parecia ter se passado em apenas um segundo.
É domingo, sétimo dia da mesma semana, um pouco depois das oito e meia da noite do nono mês do mesmo ano: aquele mesmo primeiro amor sem segundas intenções foi consumido pela minha imaginação.
[...]

4 comments:

L. said...

um amor de não sei quantos devaneios.

L. said...

ai, que bom que você gostou. de verdade.
a ilustração não é minha não... peguei por aí, nem sei onde, em uma dessas horas que a gente cruza por algo tão pequeno mas que quer dizer tanta coisa junto. enfim, não é minha, mas sou eu, está em mim, não sei bem.
vou continuar te lendo. sempresempre.

Bárbara (B.) said...

É tanto amor que sair de ti... fico pensando que não há homem como eu, mas talvez você seja uma exceção.

Dj´ Samis Killer said...

A inércia é uma propriedade geral da matéria (e segundo a Relatividade, também da energia). Considere um corpo não submetido à ação de forças ou submetido a um conjunto de forças de resultante nula; nesta condição esse corpo não sofre variação de velocidade. Isto significa que, se está parado, permanece parado, e se está em movimento, permanece em movimento em linha reta e a sua velocidade se mantém constante. Tal princípio, formulado pela primeira vez por Galileu e, posteriormente, confirmado por Newton, é conhecido como primeiro princípio da Dinâmica (1ª lei de Newton) ou princípio da Inércia.
Podemos interpretar seu enunciado da seguinte maneira: todos os corpos são "preguiçosos" e não desejam modificar seu estado de movimento: se estão em movimento, querem continuar em movimento; se estão parados, não desejam mover-se. Essa "preguiça" é chamada pelos físicos de Inércia e é característica de todos os corpos dotados de massa.
O princípio da inércia pode ser observado no movimento de um ônibus (autocarro, em Portugal). Quando o ônibus "arranca" a partir do repouso, os passageiros tendem a deslocar-se para trás. Da mesma forma, quando o ônibus já em movimento freia (trava em Portugal), os passageiros deslocam-se para a frente, tendendo a continuar com a velocidade que possuíam. A inércia refere-se à resistência que um corpo oferece à alteração do seu estado de repouso ou de movimento