Tuesday, December 26, 2006

de tanto falar, calou-se...


Ela disse o que eu não sei , disse que sei lá o quê e mais alguma coisa que não entendi, depois falou o que eu mal entendi e então não disse mais nada.Ela disse o que eu não consegui entender, parecia que milhões de vozes falavam ao mesmo tempo e ao mesmo não diziam nada. Ela disse que sei lá, me entupiu de blábláblá, depois falou mas acho que não escutei e eu fiquei ali parado sem ouvir mais nada. Ela então gritou palavras que eu não soube definir e começou a se calar.

Enfim fez-se um silêncio, que por sinal não durou muito tempo pois ela voltou a dizer o que eu continuava a desentender. Não era por mal, não era por bem, era por apenas ser o que era – eu não entendia - , e ela insistia em me fazer entender e dizia com sons ensurdecedores coisas que meus ouvidos já quase surdos não sabiam diferenciar. Depois berrou mais algumas coisas que eu não consegui decifrar e afirmou algo que eu não soube avaliar , e continuou a se calar.

Acho que ela queria dizer que me amava, mas isso eu também não posso afirmar. Talvez seja apenas eu que gostaria de ouvi-la dizer que me ama. Acho que ela me ouviu e nunca mais disse nada.

2 comments:

Talita said...
This comment has been removed by a blog administrator.
Talita said...

Nossa, quanta burocracia pra postar comentário...

Algumas pessoas só são coerentes quando permanecem mudas.